Confira as ações da Campanha “Fique Sabendo” em Sertãozinho
27/11/2017

voltar
Confira as ações da Campanha “Fique Sabendo” em Sertãozinho

Com a proximidade do dia 1º de dezembro, que marca o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, em todo o país, o Ministério da Saúde preconiza a realização da Campanha “Fique Sabendo”, que consiste na ampliação da oferta de testes das ISTs mais frequentes, bem como mais perigosas, na população:  HIV (que leva o paciente a desenvolver a AIDS), Sífilis e Hepatites dos tipos B e C.

Em Sertãozinho, a Campanha “Fique Sabendo” realiza ações abertas à população até o dia 02 de dezembro, conforme o cronograma abaixo:

- 27/11 (segunda-feira), das 16h às 20h - Condomínio Residencial “Geraldo Honório Garcia” - Rua Oliveira Bento da Silva, nº 370 - Jardim Santa Rosa II;

- 29/11 (quarta-feira), das 14h às 18h, no CRAS 1 “Sebastiana David Passariol” - Rua Antônio Zanandrea, nº 776 - Conjunto Habitacional “Anélio Celline”;

- 01/12 (sexta-feira), das 9h às 15h, na Praça 21 de Abril – Centro;

- 02/12 (sábado), das 9h às 15h, na Praça Central de Cruz das Posses.

Em todos os locais, além dos testes gratuitos, também serão distribuídos preservativos masculino e feminino, e gel lubrificante. A população também poderá esclarecer suas dúvidas em relação às ISTs.

O atendimento é gratuito, porém, para garantir a qualidade da ação, a equipe distribuirá 50 senhas por local, para realização dos testes. Havendo tempo disponível, mais senhas serão distribuídas para os interessados.

Vale lembrar que, quem quiser realizar os testes, mas não puder comparecer às ações da Campanha “Fique Sabendo”, tem a opção de procurar os Centros de Testagem e Aconselhamento de Sertãozinho e Cruz das Posses, onde os procedimentos são realizados o ano todo. Mais informações podem ser obtidas pelo número: 3947-1302.

Também é importante destacar que, conforme dados apresentados pelo Ministério da Saúde, em referência ao ano de 2016, o aumento de 28% nos casos de Sífilis chamou a atenção das autoridades de saúde, que se empenham no diagnóstico e no bloqueio da carga viral dos pacientes, evitando que a doença continue a ser transmitida.

Tão prejudicial à saúde quanto o HIV, a Sífilis também pode trazer prejuízos irreversíveis aos bebês de mulheres que engravidam e não têm a doença identificada, já que as crianças podem nascer cegas, surdas e com vários outros comprometimentos de desenvolvimento.


Fonte: Assessoria de Comunicação PMS
  • Imprima
    esse Conteúdo
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •