Menu
FALA, LEITOR!

FALA, LEITOR!

Mais uma semana passou e hoje é dia de Fala, leitor!
 
A dica de hoje é de quem entende do assunto! A bibliotecária Carina Gomes de Oliveira, além de trabalhar na Biblioteca "Profa. Sônia Regina Mossin Garcia", é uma grande leitora.
 
A indicação dela é "De repente, nas profundezas do bosque", de Amós Oz.
 
"Há um antigo ditado que diz que não se deve julgar um livro pela capa. Mas atire a primeira pedra quem nunca fez isso. Quando vemos esse livro do autor israelense Amós Oz, é natural pensar que se trate de um livro infantil. Sua capa traz desenhos coloridos, e, ainda, é um livro pequeno de capítulos curtos. Ledo engano. Não tem nada de infantil. O próprio Amós Oz o definiu como uma fábula para todas as idades. Ele conta a história de uma pequena aldeia, onde todos os animais desapareceram, os peixes nos rios e até as aves e os insetos. O que aconteceu para que isso ocorresse é um grande mistério. Os adultos não contam e as crianças, que nunca viram qualquer bicho, não podem perguntar. Os poucos que insistem em manter viva a memória dos animais e de uma época mais feliz são hostilizados, tachados de loucos. A aldeia é circundada por um bosque onde as crianças são proibidas de entrar, pois dizem que quem se aventurou, ou nunca mais voltou ou retornou com a doença do relincho. Todos os dias, quando a noite cai, as pessoas se trancam em suas casas com medo de Nehi, o demônio que eles acreditam que vive no bosque. E talvez isso durasse para sempre se um dia, Mati e Maia, duas crianças que queriam saber mais, não decidissem descobrir o que havia no bosque. E então a aventura começa.
 
Trecho sem spoiler: 'Em algumas crianças essas histórias despertavam uma espécie de saudade sombria em relação ao que talvez tivesse havido aqui no passado mas que nunca teria existido'.
 
É uma história em que Oz quer discutir preconceito, discriminação e, principalmente, mostrar como é importante ter um espírito independente que pensa por si só e não aceita tudo o que os outros querem impor, pois nem sempre a maioria está certa. A história também reforça que não se pode ter medo de querer saber a verdade"
 
Esse livro pode ser encontrado em qualquer uma das unidades do Sistema de Bibliotecas Públicas de Sertãozinho! A Biblioteca Sônia Regina Mossin Garcia fica na Rua Tenente Isaías, 872, no distrito de Cruz das Posses.
 
Agora conta pra gente nos comentários: você já leu esse livro? Gostou?
 
A gente se vê na semana que vem!