Menu

MARÇO É O MÊS DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A TUBERCULOSE: CUIDE-SE!

23 maro 2021

Saúde

MARÇO É O MÊS DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A TUBERCULOSE: CUIDE-SE! A equipe do Programa de Tuberculose do Centro de Referência em Infectologia: Fabia ( Diretora), Dra. Maria Fernanda (médica infectologista), Ana Paula (técnica de enfermagem), Vivian (assistente social).

MARÇO É O MÊS DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A TUBERCULOSE: CUIDE-SE!

Mesmo durante a pandemia, é preciso estar atento aos sinais da doença, que são semelhantes à Covid-19

 

 

Mesmo com a pandemia de Covid-19, não se pode deixar de lembrar de outras doenças que em outros momentos da história também apresentaram agravos epidemiológicos, com expressivas taxas de incidência e mortalidade. A tuberculose é uma dessas doenças. Infecciosa e transmissível, ela afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos ou sistemas.

 

Causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch, a doença também é um sério problema de saúde pública. Dados do Ministério da Saúde apontam que, a cada ano, são notificados pelo menos 70 mil novos casos de tuberculose no país, sendo que só em 2019 foram notificadas mais de 4 mil mortes no Brasil e cerca de 1,5 milhão de mortes no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 82% do total de casos de tuberculose no mundo, mesmo sendo uma doença passível de ser prevenida, tratada com potencial de cura em 100% dos casos. Cada paciente com tuberculose pulmonar que não se trata pode infectar em média de 10 a 15 pessoas no período de 1 ano.

Em 1982, a Organização Mundial da Saúde (OMS) elegeu 24 de março como o Dia Mundial de Combate à Tuberculose.

SINAIS E SINTOMAS

A similaridade dos sintomas entre a Tuberculose Pulmonar e a COVID -19 pode prejudicar a percepção ou até mesmo o diagnóstico, confundindo pacientes e profissionais de saúde e ocasionando danos irreversíveis.

O principal sintoma da tuberculose pulmonar é a tosse seca. Por isso, recomenda-se que todo sintomático respiratório, que é a pessoa com tosse por três semanas ou mais, seja investigado para tuberculose. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como:

- Cansaço excessivo e prostração;
- Febre baixa geralmente no período da tarde;
- Suor noturno;
- Falta de apetite;
- Emagrecimento acentuado;
- Rouquidão.

Alguns pacientes, entretanto, não exibem nenhum indício da doença, enquanto outros apresentam sintomas aparentemente simples, que não são percebidos durante alguns meses. A tuberculose pode ser confundida com uma gripe, por exemplo, e evoluir durante 3 a 4 meses sem que a pessoa infectada saiba, ao mesmo tempo em que transmite a doença para outras pessoas.

FORMAS DE CONTÁGIO

A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotículas de saliva que podem ser aspiradas por outro indivíduo.


PREVENÇÃO E TRATAMENTO
A vacina BCG é obrigatória para menores de um ano, pois protege as crianças contra as formas mais graves da doença. A melhor forma de prevenir a transmissão é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível. Após 15 dias do início do tratamento, a pessoa já não transmite mais a doença. O tratamento, que é totalmente gratuito, disponibilizado pelo SUS, deve ser feito por um período mínimo de 6 meses, diariamente e sem nenhuma interrupção. O tratamento só termina quando o médico confirmar a cura total do paciente.

AÇÕES NO MUNICÍPIO

Em Sertãozinho e Cruz das Posses, o atendimento ao paciente com suspeita de tuberculose inicia-se na Atenção Básica, através da avaliação de um médico clínico geral, ou diretamente no Centro de Referência de Infectologia com a equipe do Programa de Tuberculose. No nosso município é possível o acesso a essa especialidade sem a necessidade de encaminhamento. Após a avaliação, inicia-se o protocolo de atendimento em que será disponibilizado diagnóstico e tratamento ao paciente e familiares (contactantes) através do SUS.

Em janeiro de 2021, o Programa de Tuberculose da Secretaria de Saúde realizou uma ação junto às UBSs com o objetivo de orientar as equipes sobre a importância da diferenciação diagnóstica, em especial em pacientes com sintomas respiratórios reincidentes com resultado negativo pra COVID–19, com o intuito de facilitar o encaminhamento do paciente da atenção básica para o atendimento especializado.

Diante dessa ação, o número de notificações no Programa triplicou em comparação com os dados do mesmo período de 2020. Isso mostrou que muitos pacientes acometidos por tuberculose pulmonar, que não sabiam que estavam com a doença, tiveram a oportunidade de diagnóstico e tratamento.

Compartilhe:

Últimas Notícias | Saúde

Inscreva-se em Nossa Newsletter